Tardes frias

14 de junho de 2011
Pois bem. Passo a tarde de pijama, toda encolhida e com a manta enrolada até as orelhas por causa do frio. Preguiça de me vestir "normal" e colocar mais casaco, deixa assim como está que tá bom.

Faz duas semanas que estou prometendo pintar as minhas unhas, de qualquer cor, de qualquer jeito. Mas pintar. Tipo, já é tempo demais que elas estão expostas à claridade do dia. Tá frio e vou cobri-las com esmalte. Não sei quando, mas vou. Depois, se eu não tiver preguiça é claro, farei. Só me resta saber onde estão os esmaltes que eu gosto, porque né, tudo aqui em casa some. 

Realmente tudo some aqui. E também aparece coisas do nada. Eu até tento ser organizada, deixar tudo no mesmo lugar sempre (ok, essas tentativas são muitíssimo raras) mas não adianta. No outro dia tudo voltará ao normal, tudo estará perdido e eu não saberei mais onde está cada coisa. Mas o "mais bom" disso é que se acha também bastante coisa. Volta e meia aparecem alguns brinquedos escondidos em alguma caixa, algum pedaço de boneca em algum armário, alguma metade de joguinho que eu achava legal. Sim, não resta mais nada inteiro, eu e minha irmã éramos pestes natas, destruíamos qualquer coisa. Tão sem querer. 

Eu deveria arranjar algo pra fazer, ficar menos on nessas internets e menos off nessa minha vidinha. Mas antes deixa eu olhar meu Orkut e... brincadeira galerinha. 
  1. mas ficar nessas internets é tão bom. haha, nem sou viciado.

    ResponderExcluir

 

Follow by Email

Theme e conteúdo por Marina R. - © Marina's Journal 2011 ~ 2017