Desafio.

13 de fevereiro de 2012

Oi. Decidi escrever sobre um problema que me afeta desde criança e que tenho muita vergonha de conversar com qualquer pessoa. A minha aparência.

Desde criança eu era chamada de ‘gorda, baleia, saco de areia, comeu banana podre e morreu de caganeira’, hoje eu morro rindo disso, mas quando eu era criança me sentia desconfortável, não vou dizer ‘nossa, sofri muito na minha infância com isso’ porque eu realmente nunca sofri, eu apenas me sentia envergonhada, fingia que não escutava e me virava pro outro lado e conversava com a Bruna, que na época era minha única amiga.

Mas agora eu cresci e ninguém me julga com um ‘NOSSA, COMO TU TA GORDA, BALEIA, SACO DE AREIA’, mas de tanto escutar isso eu acabei acreditando e me vendo dessa maneira
Tenho primas incrivelmente lindas, sério. A minha família é uma família linda, é difícil dizer quem tem o rosto mais lindo, o corpo mais lindo, o cabelo mais lindo, etc. Eu nunca me encaixei nesse meio, sempre fui a mais feinha, a mais gordinha e a mais queridinha. É, a gorda simpática que sempre existe em algum lugar.

Eu tive vergonha de conversar sobre isso até alguns minutos atrás, nunca ninguém soube o meu peso, muito menos o meu namorado, a minha altura todo mundo sabe, sou uma nanica de 1.58m.

Alguns dias atrás eu me olhei no espelho e disse ‘BASTA DISSO PRA MIM, ACABOU’.

Peguei o telefone e liguei para uma clínica e pedi pra marcar endocrinologista, o médico que basicamente cuida da produção de hormônios, afinal a dieta da Nutricionista não adiantou nada, e adivinha o que a querida menina que atendia o telefone disse? ‘Temos endocrinologista só para o mês de março’. Sério, eu fiquei com vontade de estrangular ela, mas lembrei que ela nada tinha a ver com o fato de não ter como marcar uma consulta e desliguei o telefone. Fui correndo pra geladeira, peguei um leite condensado, misturei com coco, coloquei no microondas por 1 minuto e meio e comi, claro que depois veio a nossa querida e adorada CULPA, chorei que nem uma louca, fiquei com nojo de mim e coloquei tudo pra fora. Depois eu pensei no que aquilo acarretaria, eu já tive bulimia, e isso não é legal... Nossa, outra coisa que ninguém sabia, sem contar o meu namorado é claro, eu já tive bulimia.
Que tristeza isso traz pra mim, eu não conseguir ser uma pessoa feliz; com uma bolsa na faculdade, um namorado maravilhoso, amigos e familiares que eu amo – por causa de um corpo que eu ainda não aprendi a gostar.

Então meninas, isso foi um desabafo. Peso 66kg e tenho 1,58m, calculando meu IMC eu tenho 26,4. Estou acima do peso recomendado, é claro, não é novidade pra mim.

Escrevi pra dizer que a partir de hoje isso muda, de 15 em 15 dias vou colocar o meu peso aqui pra vocês, e quero chegar no meu aniversário de 18 anos pesando 55 quilos, ou seja, tenho que emagrecer 11kg.

Alguém entra nessa comigo? Obrigado por me ‘escutarem’. Eu realmente adoro vocês e obrigado Mari por me dar a oportunidade de mudar para melhor escrevendo aqui.
  1. Ei, eu não sei bem ainda o que dizer, mas... você contou a tua história e eu vou te dizer um pouquinho da minha. A maioria das garotas morre por emagrecer, e não gosta do próprio corpo por estar acima do peso. Ok. Mas e se eu te disser que eu fico encasquetada comigo mesma por ser muito magra? É. Eu sou muito alta e muito magra. Já não sei mais se sou tanto assim porque... tem quem diga que eu sou bonita, e tem também quem diga que meu corpo está horrível porque eu estou muito magra. Mas não é por vontade minha! Eu como para caralho, muito mesmo. Não controlo minha alimentação por causa do meu peso, e nunca o faria - nem que fosse muito, muito gorda, eu ainda comeria o que quisesse até morrer feliz. Enfim... às vezes eu me sinto muito satisfeita comigo mesma, mas outras me lembro de quando meu próprio pai achava que eu almoçava e ia vomitar no banheiro. Nunca fiz isso, e às vezes ainda saio com cara de "ah, que merda" quando os números da balança diminuem em 1 ou dois quilos.
    Enfim, mais uma vez. O corpo é importante, sim. Muito importante. Porque, afinal, é onde moramos. Vamos ter que nos acostumar com ele, de uma maneira ou de outra. E eu até poderia dizer que o conceito de beleza é inútil, e que não tem nenhuma finalidade prática, mas... tem, sim. É claro que tem. Só queria mesmo dizer que... cara, olha só isso. Você se acha gorda demais, e eu me acho magra demais. No fim das contas, acho que nós duas temos é que comer até morrer e... sei lá. Fazer o que puder para nos sentirmos bem. Assim como sei que existem no meu, aposto que existem coisas que fazem o teu corpo e o teu rosto serem lindos (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Luciana, muito obrigado por compartilhar com a gente a tua história também, é muito importante para nós. Obrigado por me fazer sentir melhor. ♥

      Excluir

 

Follow by Email

Theme e conteúdo por Marina R. - © Marina's Journal 2011 ~ 2017