Ganhei/comprei um filho

8 de fevereiro de 2012

Meu Deus, eu to feliz. Tipo, muito feliz mesmo. Hoje eu ganhei algo que eu queria há tempo, mas, pois bem, falarei em partes.

Parte 1: Manhã
Acordei como todos os dias: sonolenta, com os berros da minha mãe pedindo para fazer alguma coisa (que eu sempre me esqueço de fazer depois) e com uma fome daquelas. Meu cabelo quando acordei tava realmente uma juba, mas uma juba digna de ser escrita em caps (J U B A) e que deixaria qualquer leão com inveja. Isso porque a senhorita inteligente aqui resolveu tomar banho a 1 da manhã e teve preguiça de secar. Ou seja: Não secar o cabelo + dormir com ele úmido = cabelo todo amassado, cheio de nós. Só nascendo de novo pra por no lugar.

Enquanto eu tomava café, meu pai veio pra mim todo animado com uma propaganda de loja, me mostrando a parte de um notebook bom que tava em promoção. Eu fiquei toda feliz com a ideia (principalmente por ter sido inciativa do meu pai, sinal de que ele me ajudaria a pagar, se fosse o caso, o que na verdade foi) e, a primeira coisa que fiz depois que tive um sinal verde do meu pai, fui logo ligar pro meu primo, Marcos, pra me ajudar a dizer se valia a pena ou não comprar o tal do note.

Nota: o bom de ter primos inteligentes/nerds é que tu sempre vai ter alguém pra te socorrer quando mais precisa ou, melhor dizendo, tu sempre terá técnicos particulares sempre prontos a resolver teu problema, seja ele qual for. Isso se eles forem solícitos, coisa que meus primos são. Obrigada priminhos.

Parte 2: Tarde

É nessa parte do post, digo, do dia, que eu compro meu notezinho coisa mais linda. Lá na loja foi uma enrolação danada. Era cartão que não passava (mas só de teimoso, porque tava tudo certinho), era conta que não dava certo, ligação pro banco que deixava tudo mais irritado ainda. Mas, por fim, consegui levar o bichinho pra casa (também né, pagando a coisa uma hora tem que levar).

A primeira coisa que fiz quando cheguei em casa foi abrir a caixa e ver a criaturinha. Ok, mentira. A primeira coisa que fiz foi tirar meus tênis, minhas meias, tirar a calça e colocar um calção bem solto. Porque, pelamordedeus, tava horrível de quente. Depois só pude abrir a caixa e ver a criaturinha. Não, mentira. Antes disso eu tive que ajudar minha mãe a fazer bolachas caseiras (receita da vó), porque, se eu não fosse dar uma mãozinha lá na cozinha, acho que mamãe surtaria. E então, POR FIM, e de verdade, eu pude abrir a caixa, colocar a bateria pra carregar e ligar meu mais novo filhinho (meu outro filho é meu gatinho, o Pinky).

Agora a única coisa que falta, pra tudo ficar completo e feliz, é comprar o roteador pra eu ter internet (magina só esse meu mundo sem internet, tipo, NÃO!). Sei lá quando meu pai vai se animar pra comprar isso, mas por enquanto vou ficando feliz só com o paint, bloco de notas e media player. Um dia desses instalo os lindos flash e photoshop. Mas outro dia, porque hoje tenho preguiça*.

*Como sempre.
  1. na minha familia eu que sou o técnico de informática q eles sempre pedem pra eu arruma alguma coisa ou dizer se vale a pena comprar e onde

    ResponderExcluir

 

Follow by Email

Theme e conteúdo por Marina R. - © Marina's Journal 2011 ~ 2017