Nossa, que viagem legal

28 de julho de 2012
Conhecido como um dos maiores ursos da América Latina, o senhor Eternamente Chato sobreviveu três anos sem comer nas ilhas dos Andes. Ele e seus amigos ratos se alimentavam de raposas velhas e mal amadas nas suas derradeiras horas de ócio. Um dia, um bloco de neve caiu na cabeça deles e um raio caiu ao lado.

Querendo conhecer o mundo, o senhor Eternamente Chato e seus amiguinhos roubaram um fusca verde com pintinhas amarelas (muito raro, por sinal) e saíram viajando pelo mar, em cima de uma balsa. Os peixes no início ficaram assustados com tal tecnologia, mas depois se acostumaram e até imitaram, fazendo um carro flutuante semelhante para seus peixinhos-filhos. 

Quando a trupe viajante chegou em terra firme, os passarinhos gritaram “espécies diferentes à vista” e foram entrevista-los. O chato é que ninguém falava a mesma língua, nem Eternamente Chato e os ratinhos se entendiam, então a alternativa que restou para o urso Eternamente Chato foi matar seus amiguinhos ratos para poder usar como caneta (gravetos naquele continente estavam em extinção) e desenhar na terra roxo e laranja. Sim, o paisagista daquela terra desconhecida tinha um mau gosto do caramba pra cores.

Com muita fome e sem seus amiguinhos ratos para caçar, o senhor urso foi ouvir sua eletro-ópera de todo dia. E assim, numa terra distante, com passarinhos mordendo as unhas de seus pés e um céu brilhantemente horroroso à sua frente, o magnífico senhor urso Eternamente Chato terminou mais um dia. E morreu com o fio dos fones de ouvido enrolado na garganta, quando foi espirar. Mas depois ressuscitou.

Escrevi isso enquanto a internet tava muito ruim aqui em casa. Minha mãe está certa: to viciada e sofro de dependência internética crônica. E, por favor, nada desse texto deveria fazer sentido, não questione.
  1. Gostei, me lembrei daquelas histórias de infância.

    iasmincruz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. oii.
    tudo bem? é a primeira vez q vou no seu blog, mas ameiiii! com certeza vou visita-lo mais vezes!!!! heheheeh
    queria q vc fizesse um favor por mim, vc faz?
    queria q vc votasse no meu blog oblogdapp.blogspot.com em um concurso que estou participando!
    para votar no meu blog, siga esses passo XD :
    ---> vá no meu blog e na direita dele tem um retangulo dourado escrito TOP BLOG. clique nele e vote!
    ah, e se puder vote mais de uma vez com outras contas que vc tem (como por exemplo outro email, facebook e twitter).
    OBS: se vc votar em mim com um email, vá na sua caixa de entrada no email q vc votou e confirme o voto ok?
    PFV, ME AJUDE A VENCER COM SEUs VOTOs!
    bjs =D
    ah, o tema do seu blog é mtt lindinho!

    ResponderExcluir
  3. Que lindinho, me pareceu aquelas histórias que os pais inventam para fazer seus filhos dormirem. Beijos
    http://insideofmeeh.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oh que lindo. ^^.
    Amei o seu blog e já estou seguindo, viu?

    Dá uma passadinha no meu?
    Bjs
    Hayanne Deise Lins - Profissão Adolescente
    http://profissao-adolescente.blogspot.pt/

    Facebook * Twitter * Youtube

    ResponderExcluir
  5. Marina como assim ele matou os ratinhos?
    Além de Eternamente chato, ele é eternamente
    cruel =\

    BeijoO
    www.modiceseafins.com

    ResponderExcluir
  6. Que continho cuti, adorei!
    http://fazdecontatxt.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Muito legal e engraçado o texto... Escrever é apaixonante... eu também escrevo...

    ResponderExcluir
  8. Ah, que bonitinho *-* A ilustração é uma fofura. Eu tambem sofro quando fico sem internet, hahahaha

    Beijos
    Coisas Fúteis

    ResponderExcluir
  9. Ah lembrei minha infancia agoora ^^
    Besos ♥

    plush-girl.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Adorei o texto!
    Esse Eternamente Chato, vou te dizer, hein?

    Beijos,
    Mundorosaachock.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Que fofo o conto! tb amo escrver sabe, tem na net um sites bem legais só sobre escrever historias sabia? parabens pelo blog!
    dá uma passadinha lá no meu blog e se gostar segue!
    www.blogofthepaparazzi.blogspot.com

    Beijoocas!

    ResponderExcluir
  12. Nãããããõooo pq ele matou os amiguinhos ratos?? :(( Muuuita maldade guria
    Aah e bela observação da sua mãe também sofro de ''dependência internética'' HAUHAUAHUAHAUAH

    Enfim adorei o blog parabéns pelos textos e fique à vontade pra voltar sempre no JD :P

    ResponderExcluir
  13. Hooy Marina!
    Poxa,coitado dos ratinhos,viraram caneta mimimi,maldade mesmo.
    Tenho tendência a escrever coisas completamente sem sentido quando estou sem net também."Dependência internética",sofro disso.
    Não sabe dar estrelinha?Poisé,acho que nasci incapacitada de qualquer coisa que envolva equilíbrio ou semelhantes.Não,mais uma prova da minha incapacidade de qualquer coisa que envolva corpo é que apesar de ter feito natação uns 7 anos,a melhor coisa que faço na água é boiar/afogar-me.
    Nóó,eu reclamando e você na faculdade ¬¬',coitada.MAS se livrou da matemática,já é um progresso.
    Ah,você não sabe que honra é te ter lá no PD!Acompanho o Texto sem Leitor a um tempão,não tinha como não estar no blogroll
    O.O,Marina Ribacki(viu,aprendi \o/) "A Jornalista" elogiando um texto meu?As mina pira,os mano pira,todo mundo pira haha
    Obrigada ^^
    Nó,TS tá famoso hein?Jackie aqui,woww.Não é pra menos,é claro.
    Beeijos
    Clara,

    pe-quenosdetalhes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Eu acho sentido no sem sentido. Eu acharia que o urso só queria ser o steve jobs e inventar algo novo - ignore, please! virgulaassassina.blogspot.com
    baitolisseanonima.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. oownt... Muita maldade desse urso.. kkk ele morre ou não morre? rs! Muito boa a história. E acho que a sua mãe está certa em relação a mim também, eu acho que to sofrendo de dependência internética crônica. kkkk

    http://witblogpessoal.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. hoje simplesmente me bateu uma vontade de ler esse texto.... ehuehueheue

    ResponderExcluir

 

Follow by Email

Theme e conteúdo por Marina R. - © Marina's Journal 2011 ~ 2017