A aparência importa sim

5 de novembro de 2012
É sempre a mesma coisa quando eu vou para a Feira do Livro: nunca encontro o que eu quero. O motivo para isso não está na (falta de) variedade de livros, muito menos na quantidade. Essas duas coisas têm lá em tamanha proporção para abastecer boa parte da cidade¹, sedenta por histórias e novas aquisições. Mesmo assim, viro e reviro aquelas tendas de ponta-cabeça e nada sai.

Por quê?, você, caro leitor, perguntaria. Numa resposta simples e prática, respondo: sou pobre. Não paupérrima a ponto de me confundirem com mendiga ou criança de sinal (embora a magreza fruto de meu metabolismo rápido possa indicar semelhança), não, não chego a isso. Sou pobre mediana, como grande parte da população e, assim sendo, não me dou ao luxo de gastar horrores com livros. Tenho bibliotecas à mão como pronto-socorro literário, então gasto o dinheiro que tenho com coisas de urgência maior (comida na faculdade ou apontadores fofinhos, por exemplo).

Enfim, sendo pobre, vou na parte que me é destinada, que na verdade é todo e qualquer lugar onde esteja escrito um "promoção!", "saldo de livros", ou o maravilhoso "um é tanto, dois é um tanto e pouquinho". Essas caixas de promoções vem separadas, sempre na margem lateral do estande, bem apagadas para os lançamentos brilharem e serem vendidos. Mas não me importo, apenas não levanto a cabeça para o que está em voga e mantenho foco nas caixas escondidas. Aí, meus amigos, é hora de garimpar. E cês sabem o que é um garimpo, né? São horas tentando procurar um tesourinho que talvez nem exista, e se existir, pode estar lá no fundinho, atrás daquele livro de saúde dos anos 80 que ninguém quer.

Aliás, a maioria desses livros de promoção são os que ninguém quer. As pobres caixas alheias aos estandes estão cheias de coisas repetidas que obviamente não tiveram boa saída ou daqueles livros de bem estar que falam sempre as mesmas coisas (como o programa Bem Estar das manhãs da Globo, by the way). Quando tem alguma literaturazinha perdida no meio, é justo aquela que não faz "meu tipo". Aí tem coisas espíritas, auto-ajuda, e capas feias com títulos feios. Esses últimos são na verdade os que mais me desencantam.

Bem, antes de qualquer coisa, entenda isso: eu não me preocupo se a capa tá rasgada, se tem mancha de café, se já foi restaurado mais de dez vezes. Isso é a coisa mais normal do mundo, ainda mais para uma frequentadora de bibliotecas com estantes cheias de pó no lugar das livrarias (que cheiram a livros novos). Então, não ligo se o livro tá todo acabado quando eu o quero para ler. Até mesmo porque, um livro que, agora, é todo caidinho, velho, marrom de tanto de ser folheado, e mesmo assim tem todo seu charme (lembrando que ainda falo na parte visual de toda a questão), quando recém feito, provavelmente deve ter levado à loucura quem o tivesse em mãos. Ou seja, não é questão da condição que se encontra o livro (eu tinha me interessado num livro de 1955 sobre a Alemanha nazista e parecia que eu iria morrer ali mesmo se inalasse mais alguns segundos aquela poeira) e sim de como foi feito.

Mas mesmo vendo zilhões de coisas desinteressantes por onde eu procurava, não desisti e caminhei a tarde inteira na Feira. Acho até que visitei todas as bancas que lá tinham. Aí, numa delas (que eu não lembro o nome agora), meus olhinhos brilharam. Tinha edições com umas carinhas mais decentes. E o preço mais decente ainda. Deu então de eu bater os olhos nuns livros cujos autores e títulos nunca tinha ouvido falar na minha vidinha, mas sendo as capas bonitas, levei com muito gosto (na verdade verdadeira da coisa, as capas nem são tão bonitas assim - bem simples até -, mas achei interessante o recorte que tinham). Assim pelo menos não voltei pra casa de mãos abanando.

Alguém já ouviu falar de algum desses nomes? Porque eu não. E esse é o rabo majestoso do Hector s2

Moral da história: eu procurava por livros clássicos que estavam na minha lista de livros-que-tem-na-biblioteca-mas-quero-ter-pra-mim. Caminhei, caminhei e caminhei, não achei nenhum, então levei qualquer capa-bonita que apareceu na frente. Melhor eu me espertar e procurar em sebos que ganho levo mais.

¹: eu não faço a mínima ideia de proporção, mas tenho certeza que a quantidade de livros que tinham lá não abasteceria nem metade de uma Porto Alegre.

  1. Por que meus livros desejados custam R$5464564565645689664245 reais? Eis a questão!

    Na minha antiga escola, todo ano íamos para a Feira do Livro. Um ano ganhamos um livro

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho sorte de ter um pai tão amante de literatura quanto eu. A gente tem um acordo: ele me dá os livros que quero desde que eu mantenha minhas notas altas e não gaste horrores com coisas mais dispensáveis (roupas novas, coisas para decoração e escolares). Livros no Brasil são muito caros mesmo. Quando eu fui na Bienal de São Paulo, parecia que eram mais caros ainda lá! Mas garimpei igual a você e consegui uns exemplares bem legais a dez reais. E olha só, já ouvi falar desse livro aí chamado Ratos! hahahaha li em algum blog e acho que fiquei interessada, mas não me lembro do que se trata. Faz uma resenha depois de ler!
    PS: você usa um template lindo por demaaaais, e esse recadinho no começo da página é quase tão fofo quanto gatos! hahahaa

    ResponderExcluir
  3. Eu já li esse livro ratos: legal+ diferente + cheio de metáforas. hehehe
    Eu moro numa cidade relativamente grande e aqui tem bibliotecas em tudo quanto é lado mas eu nunca fui em nenhuma (me julgue). Vou ir nas férias e fazer um post ;) Vai que eu consigo garimpar né?
    http://www.avidaemletras.com/

    ResponderExcluir
  4. Também comprei a obra do Gordon Reece na Feira porque achei a capa bonita e era uma ótima promoção, dois livros por 15 reais (capaz da gente até ter comprado na mesma banca). Tive uma baita sorte e consegui achar mais uns bons títulos de capas decentes, porque tenho certa implicância em ter um livro de capa feia na estante também hahaha.

    ResponderExcluir
  5. Fui na Bienal do Livro com vinte reais extra-passagem, super animada por ter visto no jornal que lá teria as banquinhas de livros por 10 reais, tipo bacião. Chegando lá realmente tinha as baquinhas, mas títulos daquele jeito, que só por Deus.

    Tive que andar o negócio inteiro à espera de um milagre, no fim das contas encontrei uma duplinha por 16 mangos, um era 'Orgulho e Preconceito e Zumbis' e o outro nem lembro, mas acabei escolhendo um Alice dois em um capa dura lindo que eu achei por 19,99. *O*

    Foi sofrido mas eu fiquei feliz com a compra, e da próxima vez que tiver Bienal eu vou festejá-la indo a um sebo que é muito mais negócio.

    Quanto a capa eu concordo totalmente, acho que é impussibru não reparar ou se deixar seduzir por algumas mais jeitosinhas. Vou pelo título e sinopse também pra não ficar na avaliação superficial, mas aí é duro quando a capa é linds a sinopse é superestimada e a escrita é uma Coisa de ruim. Mas faz parte né, vida de leitor é cheia de causos, hehe

    Xente, que gatos glamourosos os teus! Lindos, lindos! sz

    ResponderExcluir
  6. Como sem leitor? Tô vendo um monte de leitor aqui -qq brincadeira, adorei esse título ushausha. Aliás, eu adorei teu blog, Mari :3 *posso te chamar assim? .-.* Sério q tu adora gatos? Putz, eu tbm :) Tenho uma persa, e tu? Pelo rabo parece uma persa uahsauhs E ui, q nome chique ele tem u_u A minha se chama Bijou.

    Mas sim, o texto! Super me identifiquei. Tbm nn tenho lá mt dinheiro, e nas livrarias é sempre muuuuito caro, ainda mais os livros grossos e estrangeiros, q são infelizmente meus favoritos .-. E cara, todo mundo me acha estranha por isso, mas eu adoro livros velhos! Eles tem um cheirinho tão bom quanto o dos novos (só nn é melhor pq né), exceto aqueles de sebo q às vezes vem com cheiro de neftalina hahaha

    Ah, eu já li parte de Ratos (tive q devolver pra biblioteca antes de terminar :/ ), e super te recomendo. Mas lê com atenção pq é do tipo poético e cheio de metáforas e coisas nas entrelinhas, então nn dá pra ler qualquer jeito, sabe? Nunca li O Ladrão de Arte, mas eu adoro esse autor :) Acho q escreve bem.
    hum, enfim, tô escrevendo um livro aqui pra ti, foi mal uahuah
    xo,
    its-becky.blogspot.com

    ResponderExcluir

 

Follow by Email

Theme e conteúdo por Marina R. - © Marina's Journal 2011 ~ 2017