A morte horrível que é comprar roupas

8 de outubro de 2014
Querido diário, hoje foi dia de bater perna em Porto Alegre em busca de roupa amorzinho (porque meu guarda roupa está semi-nu dessa categoria). Saí com minha mãe logo após o almoço, pegamos carona com meu pai e então o trem, que estava uma delícia de cheio, e chegamos numa PoA que não se decidia se estava calor ou frio. No início me arrependi de sair de casa com apenas uma regata sem casaco, mas depois percebi que o tanto de gente a nossa volta faria desnecessário o uso de uma peça extra.

Já fui mais suave na nave na hora de comprar roupa, o que vem tô levando, etc, mas com o tempo fui ficando mais cri cri. Quando pego uma roupa que me agrada na mão, saio catando a etiqueta em primeiro lugar. Nada de ficar medindo no corpo ou até provando antes de ver o preço, que é pra não criar afeição pela dita cuja (assim fica mais fácil de dizer um "aff não gostei dessa porcariaaaa" em alto e bom tom para aquela blusa que poderia ser o amor da sua vida caso não custasse uns 300 pila). Se passar pelo teste de Bonito & Barato, tem que também ver se é algo que eu vou usar realmente. Porque assim, não adianta comprar uma coisa que achei bonita no momento mas que depois vai ficar servindo de cama para os gatos. Se também passar na fase Vou Usar Com Certeza do teste, posso levar que é boa compra.

Tendo em mente esse meu procedimento-padrão, adentrei o máximo de lojas possível. A minha ideia inicial era comprar um vestido dia a dia que desse para usar em qualquer ocasião. Sabe aquelas peças-chave que ficam bem com qualquer coisa? Então, queria algo nesse nível. Tenho um vestido lindão verde que é bem assim. Posso usar com tênis no verão, meia calça e casaco no frio e se colocar um salto dá pra ir numa festa de boa. Versatilidade define bem.

Mas acho que isso é pedir demais, né? Porque foi uma decepção atrás da outra. A cada saída de loja minhas esperanças de encontrar algo bom perdido naqueles mares de pano iam diminuindo, diminuindo... até chegar no nível Queria Estar Morta (eu te entendo, Laninha). Quando eu perguntava por vestidos para alguma atendente, tudo que me mostravam era ou aqueles vestidos de malha com estampa de bicho ou roupa pra festa tipo balada, justinho, piriguete, muito peito-bunda-coxa à mostra (nada contra, mas para mim não rola de jeito nenhum). Isso quando tinha vestido. Um monte de lugares que entrei não tinha um mísero vestido tosco pra eu olhar, dizer que é feio e dar meia volta. Nem isso. Em duas lojas que passei nem foi preciso entrar ou dizer o que eu queria: já me disseram na cara que não tinha nada pro meu tamanho. Hehe </3. Minha mãe, que foi comigo e queria comprar uma blusinha que se encaixasse no Bonito & Barato + Vou Usar Com Certeza, saiu desolada também. Transparência demais, renda (feia) demais, transparência com buracos aleatórios na roupa e renda demais. Em. Todas. As. Lojas. Era. Assim. E quando via algo que era minimamente decente, custava os olhos da cara. Cadê roupa bonita?

Minha sorte é que eu não estava procurando calça jeans. Meio que desisti de comprar jeans depois das tantas vezes que saí esperançosa e voltei pra casa de mãos vazias. Porque tudo é um grande lixinho. Onde estão as calças funcionais, de uma coloração só, sem frescuras de mil pedrinhas e glitter? Onde estão as calças pretas ou cor brim? Onde estão as calças com bolsos? Cadê os bolsos, cara. Cadê. É só olhar pra ala masculina com peças na mesma faixa de preço que estão lá os jeans com textura boa (não como a maioria dos femininos, que é um tecido porquinho e fininho), com bolsos de verdade na frente e atrás. Eu não quero botões gigantes para fechar, não quero que a marca ocupe todo o espaço da bunda, não quero comprar uma calça que tem quatro bolsos que não servem para nada. Também não posso (mas de qualquer forma não quero) pagar 200 reais para ter uma calça minimamente usável, porque sou magrela e geralmente, além disso tudo, não tem nada do meu tamanho se eu não quiser pagar muito caro.

No fim acabei comprando um vestidinho tosquinho mas que caiu bem em mim. Milagre! Não era nem de longe o que eu queria, mas usável e bem barato. Mamãe as vezes diz brincando que para preencher os vestidos e blusas das lojas, só colocando silicone. Olha, com o dinheiro que se usaria para entrar na faca, daria muito bem para pagar um curso técnico de molde + corte e costura e fazer todas as roupas de acordo com o corpo, e nunca mais sofrer sem achar nada que presta por aí. Bem, taí uma boa ideia.
  1. comprar roupas quando se precisa é uma morte horrível mesmo :~ mas eu quase que não preciso. meu guarda-roupa fica igual por muito tempo. até porque aqui em casa rola o "o que é teu é meu" com a minha irmã. na hora de comprar é meio "vamos usar isso? sim" ai compramos, HAHA de resto quando acho uma calça básica, sem frescura alguma, uso ela até rasgar e não ter mais como costurar, HAHAHA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui em casa também acontece isso, o guarda roupa é compartilhado com a família toda. Uso as roupas da minha irmã, da minha mãe e até do meu pai HAHAHA. Mas chega aquela hora que preciso de coisa nova né :~

      Excluir
  2. Hoje (ontem?) fui tentar achar um vestido também, Marininha, mas quem disse, hein? Não, sério, quem disse? Não só pelo tamanho, mas pelo mesmo problema que você enfrenta: MELDELS, CADÊ AS ROUPAS BONITAS? Em todas as lojas as roupas são iguais: feia, mais feia ainda, cristo santo, que isso. Aí achei um lindo vestido, corte estilo deusa grega, perfeito pra o casamento ao qual irei. O único problema é que ele é... bege. E o medo de ser confundida com a noiva? hahahaha

    Das coisas que moças com gosto fashionista meio vintage passam ao (fazer compras) irem ao inferno.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, essa é praticamente a história da minha vida! Sou muito chata para comprar roupas - ando, ando, ando e não gosto de nada. Quando gosto, é 300 reais e não vou pagar isso de jeito nenhum em uma peça de roupa! HAHA, e a parte em que você fala das calças, meu deus, parecia eu falando com meu irmão ontem mesmo. Saímos juntos e eu não queria levar bolsa, coloquei tudo nos bolsos da calça dele pq a minha tinha seis bolsos decorativos, totalmente inúteis. Ah, é tão mais fácil comprar roupa masculina, dá até tristeza. E estou achando uma boa aprender a costurar, pq não tá fácil mesmo achar roupa que me agrade. Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Cara, sou super adepta do bonito+barato+vou usar com certeza. Tenho limites de preço impostos para cada tipo de coisa que eu compro e não compro nada que ultrapasse isso, por mais daora que seja XD
    Uma loja de jeans que geralmente tem peças simples e duráveis é a tal da Damyller (será que escrevi certo?), mas eu não sei se ela existe no Brasil todo. As calças custam em média umas 150 dilmas, o que é caro, mas são muito confortáveis e você passa bem com elas por pelo menos 2 anos, hehehe.
    E isso é o mais caro que eu posso pagar em alguma coisa (e olha lá).
    Adorei o post-diário.
    :*

    ResponderExcluir

 

Follow by Email

Theme e conteúdo por Marina R. - © Marina's Journal 2011 ~ 2017